DanielFaria_Banner-Sonhamos-Grande.jpg
EDUCACAO_Icone.png
EMPREGO_Icone.png
PROJETOS_Icone.png

DISCRIMINACAO_Icone.png
ALIMENTACAO_Icone.png
CORRUPCAO_Icone.png

NOSSOS PRINCIPAIS PILARES SÃO AS CAUSAS QUE DEFENDEMOS. NOSSAS FRENTES DE ATUAÇÃO SÃO:

EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE EM TEMPO INTEGRAL PARA TODOS

 

Os últimos dados da Prefeitura de São Paulo¹ mostram que, em março de 2020, estavam regularmente matriculadas nas creches públicas 339.475 crianças, porém a demanda por vagas ainda era de 21.419. Quando olhamos para alguns distritos, Jardim São Luís, Jardim Ângela, Campo Limpo e Capão Redondo, da periferia da Zona Sul, a demanda chega a 3.327 vagas em Centros de Educação Infantil (CEIs) nessa região.

 

As Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs), por sua vez, oferecem um horário de atendimento as crianças que muitas vezes não atende à necessidade e ao horário de trabalho das famílias.

 

Pensando na mudança desses pontos e outros processos da Educação de São Paulo. Minha maior luta é pela garantia de uma Educação Básica de qualidade em tempo integral às nossas crianças e adolescentes.

 

FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO E GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA
 

A estimativa do IBGE para o primeiro trimestre de 2020 mostrou que, nesse período, 22.264 mil pessoas estavam trabalhando no estado de São Paulo². Porém, dessas, 32% estavam atuando no mercado informal³. O número recorde (32%) de informalidade nas atividades dos trabalhadores do Estado de São Paulo mostra que o mercado formal não tem garantido emprego para todas as pessoas.
 

Diante desse cenário, meu objetivo é fomentar o empreendedorismo, para que os pequenos empreendedores tenham espaço para o desenvolvimento, propiciando a geração de empregos e renda nas periferias.

 

FORTALECIMENTO DE PROJETOS SOCIAIS E CULTURAIS


Entendemos que os Projetos Sociais e Culturais têm grande importância dentro do ambiente da periferia. As atividades desenvolvidas por diversas Organizações Não Governamentais (ONGs) e Instituições Filantrópicas permitem o acesso a diversas atividades culturais de arte, dança e música dentro das comunidades, bem como oferecem suporte a crianças, adultos e famílias em situação de vulnerabilidade.
 

Em 2016, o IBGE divulgou dados mostrando que no estado de São Paulo existiam cerca de 55 mil associações sem fins lucrativos, dessas o segundo e o terceiro maior número de instituições se classificava como instituições: Assistencial Social e de Cultura e Recreação4.
 

Minha intenção é fortalecer e garantir a atuação desses Projetos Sociais e Culturais, não somente na cidade de São Paulo, mas em outras cidades e Estados, acelerando assim, o desenvolvimento cultural e social nas áreas periféricas.
 

 

COMBATE À CORRUPÇÃO


Uma das principais preocupações do eleitor é a corrupção. Ver as notícias de que o dinheiro público, fruto dos impostos pago pela comunidade, está sendo desviado é revoltante. Os escândalos crescem a cada dia, lavagem de dinheiro e contratos superfaturados aparecem cada vez mais na TV, nos jornais e na mídia em geral.
 

A democracia, contudo, nos permite fiscalizar e combater de frente a corrupção. Em janeiro de 2020, a Câmara de São Paulo aprovou a Lei Nº 17.273 com Políticas Municipais de Combate a Corrupção, dando um passo importante para mudança do cenário atual em nossa cidade5.
 

Como seu deputado federal, posso e quero garantir a fiscalização do destino dado ao dinheiro público, para que as reais necessidades da população sejam atendidas com a verba destinada à saúde e educação.
 

 

ALIMENTAÇÃO DE QUALIDADE PARA TODOS

Os dados mostram que cerca de 1,3 bilhões de toneladas de alimentos são jogados fora anualmente. Uma pesquisa realizada em 2017, na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, mostrou que na cidade de São Paulo esse número chega a 33 mil toneladas todo ano, considerando frutas, verduras e legumes6. Esses alimentos que são descartados, na maioria das vezes estão em boas condições para o consumo.

Meu objetivo é garantir que os alimentos em bom estado que seriam desperdiçados possam chegar à mesa de pessoas em situação de vulnerabilidade, garantindo assim a segurança alimentar para todos.

 

COMBATE À DISCRIMINAÇÃO DE GRUPOS MINORITÁRIOS

O Brasil traz em sua história inúmeras cicatrizes da desigualdade racial, intolerância religiosa, omissão dos direitos das mulheres e de preconceito contra pessoas LGBTQIA+. Porém, o ano é 2022 e discursos de ódio e discriminação contra esses grupos não devem mais fazer parte do nosso dia a dia.

Os números são assustadores! O Atlas da Violência mostra os seguintes dados para o ano de 2017. No Brasil 75,5% das vítimas de homicídio são de pessoas negras. Entre 2007 e 2017 o número de homicídios contra mulheres no pais aumentou em 30,7%, nesse mesmo período a porcentagem de feminicídio contra mulheres negras aumentou 29,9% enquanto contra mulheres brancas teve um acréscimo de 4,5% 7.

Um levantamento, do fim de 2019, mostrou que na cidade de São Paulo7 em cada 10 pessoas acreditam que o racismo se mantém ou piorou nos últimos 10 anos8. O número de Boletins de Ocorrência contra intolerância religiosa subiu 22% em todo estado no último ano9. Por sua vez, os dados da Policia Miliar mostram que desde o início da quarentena o número de denúncias de violência contra a mulher aumentou 30% na cidade de São Paulo10.


Tratar desses assuntos é urgente! Quero combater de frente qualquer tipo de discriminação contra grupos minoritários, garantindo políticas igualitárias e de combate à desigualdade.

 

REFERÊNCIAS:


1. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO. Prefeitura da Cidade de São Paulo - Educação. Disponível em: https://educacao.sme.prefeitura.sp.gov.br/demanda-2020/.

2. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua. Disponível em: file:///C:/Users/bianc/Downloads/pnadc_202001_trimestre_comentarios_sinteticos_Brasil_Grandes_Regioes_e_Unidades_da_Federacao.pdf.

3. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). Agência IBGE Notícias. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/26913-desemprego-cai-em-16-estados-em-2019-mas-20-tem-informalidade-recorde.

4. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). As Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos no Brasil - FASFIL. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/outras-estatisticas-economicas/9023-as-fundacoes-privadas-e-associacoes-sem-fins-lucrativos-no-brasil.html?=&t=destaques.

5. CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. Notícias da Câmera Municipal de São Paulo. Projeto de combate à corrupção é sancionado. Disponível em: https://www.saopaulo.sp.leg.br/blog/projeto-de-combate-a-corrupcao-e-sancionado/.

6. Sylmara L. F. Gonçalves Dias. Desperdício de frutas, legumes e verduras em feiras livres de São Paulo: contribuições para o diálogo e políticas públicas. EACH-USP, 2017. Disponível em: https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-ambientais/toneladas-de-alimentos-das-feiras-de-sp-vao-para-o-lixo/.

7. BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34784.

8. Redação RBA. Rede Brasil Atual (RBA). Para 70% dos paulistanos, racismo vai de mal a pior em São Paulo, 2019. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2019/11/racismo-igual-pior-rede-nossa-sao-paulo/.

9. AMANDA LÜDER, GloboNews. G1 – São Paulo. Registros de intolerância religiosa aumentam 22% no estado de SP. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/01/21/registros-de-intolerancia-religiosa-aumentam-22percent-no-estado-de-sp.ghtml.

10. BEATRIZ BORGES e WALACE LARA, G1 SP. G1 – São Paulo. Casos de violência contra mulher aumentam 30% durante a quarentena em SP, diz MP. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/04/13/casos-de-violencia-contra-mulher-aumentam-30percent-durante-a-quarentena-em-sp-diz-mp.ghtml.